Rio + 20

RIO + 20

RIO + 20

            O Planeta Terra não está em perigo, pois não depende do ser humano para continuar sua trajetória no Universo, existiu por mais de 4,5 bilhões de anos sem nós e se o homem deixar de existir não fará falta ao Planeta. Já para nós a Terra é nossa única morada, não temos outro lugar para habitar, se existir outro planeta habitável estará a dezenas de anos-luz, inacessível, por esta razão temos de cuidar bem dele.

            A Conferência de Estocolmo em 1972, foi o primeiro encontro de líderes mundiais em busca de soluções para os problemas ambientais do nosso Planeta. A Eco  92 – Conferência para o Meio Ambiente e Desenvolvimento convocada pela ONU, foi o encontro planetário mais importante de sempre,  onde governantes dos principais países do Mundo discutiram os problemas sócio-ambientais e se comprometeram a seguir políticas de sustentabilidade ecológica. Por razões econômicas dos grandes poluidores, poucas mudanças ocorreram.

            Desde a Eco 92  até à Rio + 20, a população mundial aumentou em dois bilhões de pessoas e o número de automóveis mais que dobrou. O acesso à água piorou assim como o número de pessoas vivendo na miséria absoluta. Projeções para 2030 nos mostram que serão necessários mais 50% de alimentos, 40% de energia e 30% de água para satisfazerem as necessidades populacionais.

            Os Governos são pressionados a produzir mais alimentos e proporcionar às suas populações  um bem estar maior. Por outro lado, os ecologistas pressionam para que não se avance sobre as florestas e rios. São contra o agronegócio, economia verde, matriz energética baseada em combustíveis fósseis que libera diariamente bilhões de toneladas de CO2 e fuligem para a atmosfera e provoca aquecimento global, além de ser contra as grandes barragens. Como compatibilizar estas posições  antagônicas.

            A Rio + 20 é uma nova oportunidade para avaliar as condições ambientais do Planeta e se as metas propostas pela Eco 92 tiveram resultado. Por ser ano eleitoral nos EUA presidente da maior potência e maior poluidor não compareceu,  isso já provocou esvaziamento. O acordo final resultou num documento genérico onde todos os países foram a favor: Erradicação da pobreza, desenvolvimento sustentável, proteção dos oceanos, compromisso de eliminar de forma progressiva os subsídios aos combustíveis fósseis, água e saneamento etc. Porém não foram definidas ações específicas para atingir estas metas.

Foi a Rio + 20 uma decepção? Não!  Pois ninguém esperava que se resolvesse alguma coisa na comemoração dos 20 anos da Rio 92.. Na Conferencia das Naçoes Unidas sobre Meio Ambiente e desenvolvimento, nome oficial da Eco 92 no Rio de janeiro, havia grandes expectativas de uma juventude que pretendia mudar os destinos do Mundo e as potências mundiais presentes ao evento se propuseram a determinadas metas que fariam o planeta menos inóspito e mais comprometido com a defesa do meio ambiente.

Acontece que nada mudou ou, tudo mudou para pior. A geração que participou ativamente em 1992, não é a mesma da Rio + 20, são seus filhos e netos A geração da época era mais idealista, tinha propósitos de mudar as estruturas, não tinha acesso a computadores individuais e o Mundo para ele não era Virtual, mas real. A geração de 2012 é muito mais individualista, isto é mais egocêntrica. Pensa menos no todo e mais em si própria. Fica muito mais em casa usando o computador e as redes sociais inexistentes na época. O Mundo é virtual e seus problemas também o são, podendo ser resolvidos com tecnologia.

A Cúpula dos Povos de 1992 no Aterro do Flamengo paralela à Eco 92 atraíu multidões de jovens preocupados com a erradicação da miséria, com a poluição ambiental, aquecimento global e outros temas planetários. As palavras de ordem eram outras A preocupação com o próximo era inegável. Lutava-se pelo fim das guerras, da miséria,  contra, o aquecimento global,  a favor de um mundo melhor para todos. Não   provocou engarrafamentos, foram realizados movimentos ordeiros embora firmes..

            Bem diferente foram as passeatas dos jovens atuais referindo-se a temas que pouco tinham a ver com a globalidade. As passeatas tornaram o Rio de Janeiro numa grande passarela de Carnaval. Os engarrafamentos do transito foram monumentais, Em vez de fazer com que a população se sentisse sensibilizada pelas bandeiras defendidas pelos participantes, ficou enraivecida por passar horas em gigantescos engarrafamentos, perda hora de trabalho e lhe ser negado o direito de ir e vir.  Não entendo, talvez por estar velho, como por exemplo, a reivindicação de um pequeno grupo que se diz feminista, de mostrarem os seios nus nas ruas. Tenho certeza que não é uma reivindicação feminina. Não sei como isso mudará o mundo para melhor.

No centro do Rio de Janeiro houve todo o tipo de manifestações de protesto: Sem teto, sem terra, feministas, homossexuais, Índios, quilombolas, ecologistas, evangélicos, pró-aborto, anticapitalistas, contra a economia verde, anti-Vaticano, etc. Quem ler a declaração da Cúpula dos povos do Rio + 20, mesmo dizendo que falam em nome dos povos, faz muitas denúncias mas não apresentam propostas para resolução dos problemas Sociais e ambientais a nível mundial. O Denuncismo pode até ser importante, mas sem apresentar propostas alternativas não leva a nada. É um verdadeiro delírio de adolescentes sem causa.

Fala sobre a violência contra a mulher, gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e trangêneros. O Homem nem é mencionado, e sabemos que a maioria dos assassinatos é de homens pobres, só no Estado de São Paulo são 10 assassinatos diários e no Brasil chegam a 30. Não seria melhor se posicionar simplesmente contra a violência e contra a miséria? esta nem é mencionada.  Várias propostas vagas: Contra o capitalismo, modelo de energia vigente, que alternativas reais propõem? Será que eles próprios economizam energia . Pelos direitos adquiridos; contra os agrotóxicos e transgênicos e por último: Construção do DIA MUNDIAL DE GREVE GERAL

Enfim, tanto o documento oficial, quanto o da Cúpula dos povos, deixaram muito a desejar. Sucesso mesmo foi para a rede hoteleira do Rio de janeiro, a vinda de 110.000 pessoas para o evento proporcionou-lhe enormes ganhos e até o Goberno federal teve de intervir para que baixassem os preços da estadia

 

 

About ecologiaespiritual

Profesor universitário aposentado, professor da academia do Corpo de Bombeiros RJ desde 1977. Escritor, Diplomado pela ESG 2002, Geógrafo, mestre em geoquimica, consultor de áreas de risco geológico, diplomado pela Michigan State University em Proficiência em Inglês, Professor do Curso Superior de Bombeiros Militar autor dos livros Sobreviver sem perder a Esperança (sobre morte de filho), Ecologia Espiritual (uma história do Corpo de Bombeiros no Brasil), Treasures of Brasil, além de trabalhos/livros técnicos: Recursos hidricos do Estado do RJ, Geonit (fundação geotécnica de Niterói). Laudos técnicos sobre Escorregamentos na Enseada do Bananal - Ilha Grande e Bumba (niterói)
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s